terça-feira, 19 de abril de 2011

Eternidade (2)


Aqueles que são sábios reluzirão como o brilho do céu, e aqueles que conduzem muitos à justiça serão como as estrelas, para todo o sempre. (Dn 12,3)


Sabe, é estranho, mas a sensação é de que você ainda está aqui, entre nós. No mesmo lugar. Tenho a impressão de que voltarei e você estará esperando, sorrindo, contando suas histórias, fazendo as mesmas perguntas, preocupando-se...vivendo, enfim.
Por mais que haja a impressão de ter vivido experiência semelhante, nunca estamos preparados. Jamais estaremos. A morte é sempre supresa. É sempre arriscado. Dói sempre.


Mas vivendo na Paz, certeza de (re)encontro é inabalável. Que venha a Eternidade, pois minha saudade e meu amor só se conjugam num tempo chamado "para todo o sempre".


Uma morte é preciso mas a vida é infinda...

Nenhum comentário: